I Congresso da ADSP - Segurança Privada é muito mais...

ADSP I Congresso 22.11.2018 Programa IPJo bcb70

No ano em que a Associação dos Diretores de Segurança de Portugal completa o seu 10º aniversário e alcançou também a fasquia dos 350 associados, ambos os factos que nos enchem de orgulho e que são o reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido ao longo destes anos de existência, acarretam uma responsabilidade acrescida para que continuemos a trabalhar mais e melhor para um universo cada vez maior de profissionais que querem continuar a acreditar em nós e a trabalhar pela segurança de Portugal.

Neste mesmo momento em que decorre a revisão do regime jurídico da segurança privada, importa nesta nossa iniciativa, alertar para que aquele regime não deve apenas limitar-se, como até aqui, a regular a atividade das empresas de segurança privada, mas também a determinar as medidas de segurança que os privados, detentores de ativos relevantes para o país e responsáveis por atividades essenciais para a manutenção de funções vitais para a sociedade, devem adotar.

Por isso e inserido nas iniciativas que assinalam o 10º aniversário, decidimos realizar o I Congresso da ADSP - "Segurança Privada é muito mais...", que terá lugar no próximo dia 22 de Novembro na Universidade Autónoma de Lisboa. As inscrições são limitadas e devem ser feitas através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. devendo ser acompanhadas do comprovativo da transferência (NIB 0035 0697 00637873230 46) do valor da inscrição.

MONOFOLHA (I Congresso da ADSP - CARTAZ E PROGRAMA)

Participação no Conselho de Segurança Privada

Logo MAI 0e505No passado dia 11 de Outubro o Presidente da ADSP, a convite do Ministro da Administração Interna, participou no Conselho de Segurança Privada e fez-se acompanhar do Presidente da Mesa da Assembleia-Geral. O CSP foi presidido pela Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Dra. Isabel Oneto.

Na reunião foi aprovada a ata da reunião do CSP de 22 de março de 2018 e foi aprovado o Relatório Anual de Segurança Privada de 2017 que pode ser consultado aqui.

Foi ainda feito o ponto de situação sobre o processo legislativo de revisão do regime jurídico da segurança privada, nomeadamente, as propostas de alteração ao Decreto-Lei n.º 135/2014, de 8 de Setembro e à Lei n.º 34/2013, de 16 de Maio.

Continue a leitura

Moção - Mais e melhor segurança, um serviço para bem de todos

Logo Assembleia Municipal Lisboa 22cfdNo passado dia 09 de Outubro o Grupo Municipal do PSD apresentou na Assembleia Municipal de Lisboa a moção "Mais e melhor segurança, um serviço para bem de todos" que dá voz às preocupações da ADSP relativamente à revisão do regime jurídico da segurança privada principalmente por limitar-se a regular a atividade das empresas de segurança privada em vez de também passar a determinar as medidas de segurança que os privados, detentores de ativos relevantes para o país e responsáveis por atividades essenciais para a manutenção de funções vitais para a sociedade deveriam adotar.

Consultar a Moção "MAIS E MELHOR SEGURANÇA, UM SERVIÇO PARA BEM DE TODOS"

O Grupo Municipal proponente solicitou à Mesa que a Moção não fosse votada e propôs que a mesma baixasse à 8.ª Comissão Permanente – Transportes, Mobilidade e Segurança, para apreciação, o que foi aceite sendo aprovada por maioria com a seguinte votação: Favor: PS/ PSD/ PAN/ PPM/ 7 IND – Abstenção: PCP/ CDS-PP/ BE/ PEV/ MPT/ 1 IND).

Consultar página 7 em www.am-lisboa.pt/documentos/.pdf

Audiência com o Grupo Parlamentar do CDS-PP

Logo CDS PP 56c5dNo passado dia 09 de Outubro uma delegação da ADSP, composta pelo presidente, secretário-geral e um vogal da direção, foi recebida pela deputada Vânia Dias da Silva do CDS-PP.

Na reunião, que demorou cerca de 90 minutos e que decorreu num clima de enorme cordialidade, foi possível apresentar as principais preocupações da ADSP relativamente às propostas de alteração ao regime jurídico da segurança privada, destacando-se o alerta que deixamos para que o regime juridico da segurança privada não se limite, como até aqui, a regular a atividade das empresas de segurança privada mas também a determinar as medidas de segurança que os privados, detentores de ativos relevantes para o país e responsáveis por atividades essenciais para a manutenção de funções vitais para a sociedade, devem adotar.

No final da audiência deixamos um memorando com as nossas principais preocupações sobre o processo de revisão do regime jurídico da segurança privada.

Mais artigos...

"Este website utiliza cookies. Ao continuar a navegação está a aceitar a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa POLÍTICA DE PRIVACIDADE"